ADMINISTRAÇÃO APOSTÓLICA

SÃO CRISANTO E SANTA DARIA

25out2:01 pm2:01 pmSÃO CRISANTO E SANTA DARIA

Event Details

SÃO CRISANTO E SANTA DARIA

Mártires

Comemoração

O culto destes Mártires em Roma, que remonta a tempos muito antigos, prova que eles realmente existiram e que deram a vida por Cristo; mas o relato do seu martírio é uma descoberta de uma data muito posterior. Segundo este relato, Crisanto era filho de um patrício chamado Polêmio, que se mudou, com seu filho, de Alexandria para Roma, durante o reinado de Numeriano. Um sacerdote chamado Carpóforo instruiu e batizou Crisanto. Quando Polemio descobriu, ficou extremamente indignado e, para fazer Crisanto renunciar à castidade e à sua nova religião, trouxe para seu quarto cinco mulheres de má vida. Como o estratagema não funcionou, Polêmio propôs ao filho que se casasse com uma sacerdotisa de Minerva, chamada Dária. Não sabemos como nem o porquê, Crisanto aceitou a proposta do pai, converteu Daria ao cristianismo e ambos mantiveram a virgindade no casamento.

Juntos, eles converteram muitos personagens da sociedade romana. Finalmente, foram denunciados e compareceram perante o tribuno Cláudio. Ele entregou Crisanto a um pelotão de soldados, com a ordem de forçá-lo por todos os meios a oferecer sacrifícios a Hércules. Os soldados submeteram Crisanto a diversas torturas, mas a firmeza do mártir foi tal que o próprio tribuno, sua esposa Hilária e seus dois filhos confessaram Cristo. Os soldados também seguiram o seu exemplo. O imperador ordenou que todos fossem assassinados. Hilária conseguiu escapar, mas foi capturada posteriormente, quando rezava no túmulo dos mártires. O Martirológio Romano comemora São Cláudio e seus companheiros no dia 3 de dezembro.

Enquanto isso, Daria foi enviada para uma casa de prostituição, onde foi defendida por um leão que escapou do circo. Para acabar com a fera, os soldados tiveram que colocar fogo na casa. Daria e Crisanto compareceram então diante do próprio Numeriano, que os condenou à morte. Primeiro foram apedrejados e depois enterrados vivos numa antiga mina de areia na Via Salária Nova. No aniversário da morte dos mártires, alguns cristãos reuniram-se ali para rezar junto ao seu túmulo. O imperador descobriu que os fiéis estavam lá dentro e ordenou que a entrada da mina fosse murada com pedras e terra, para que ali morressem os cristãos. São os Santos Diodoro (sacerdote), Mariano (diácono) e seus companheiros, que são comemorados no dia 19 de dezembro.

É provável que São Crisanto e Santa Dária tenham sido apedrejados e enterrados vivos numa mina. Diz-se que o seu túmulo e o dos cristãos martirizados no seu aniversário foram descobertos posteriormente. São Gregório de Tours descreveu, pelo que ouviu falar, o santuário erguido sobre a mina, mas sem nomear os mártires. No século IX, as supostas relíquias de São Crisanto e São Darias foram transferidas para Prüm, na Prússia Renana, e, quatro anos depois, para Münstereifel, onde estão hoje. O túmulo dos mártires localizava-se perto do cemitério de Trasón, na Via Salaria Nova, onde existem várias antigas minas de areia.

DESCOBERTA DE POSSÍVEIS RELÍQUIAS

Num Documentário da National Geographic há um episódio sobre o estudo dos restos ósseos que poderiam ser destes Santos Mártires do século III.

Os restos são compostos por 150 ossos e foram encontrados em 2008 na cripta da Catedral da cidade italiana de Reggio Emilia, ao norte do país. As provas para averiguar sua “idade” indicam que estão entre os anos 80 e 340 depois de Cristo.

Segundo os investigadores, os dois esqueletos estudados poderiam mesmo pertencer ao casal mártir São Crisanto e Santa Daria:

“Toda a evidência que reunimos sobre estas relíquias nos mostram que seriam os restos de Crisanto e Daria (…) esta foi uma oportunidade que sucede com muito pouca frequência, para estudar ossos e outras relíquias que se relacionam diretamente a uma história quando já passaram quase 2000 anos. Também é raro em mártires desse tempo ter esqueletos completos, o que implica que foram protegidas e veneradas por inteiro desde o começo”.[1]

 


(BUTLER Alban de, Vida de los Santos: vol. IV, ano 1965, pp. 199-200)

ACIDIGITAL. Documentário da National Geographic: Restos ósseos poderiam ser de santos mártires do século III. Disponível em:  https://www.acidigital.com/noticia/21648/documentario-da-national-geographic:-restos-osseos-poderiam-ser-de-santos-martires-do-seculo-iii. Acesso em 20/10/2023.

[1] Ezio Fulcheri, líder da investigação da Universidade de Gênova.

more

Time

(Quarta-feira) 2:01 pm - 2:01 pm