ADMINISTRAÇÃO APOSTÓLICA

RELIGIOSAS ASSISTIDAS PELA ADMINISTRAÇÃO APOSTÓLICA NA “SANTA MONTANHA” SÃO RECONHECIDAS NA DIOCESE DE LEOPOLDINA

RELIGIOSAS ASSISTIDAS PELA ADMINISTRAÇÃO APOSTÓLICA NA “SANTA MONTANHA” SÃO RECONHECIDAS NA DIOCESE DE LEOPOLDINA

A Administração Apostólica recebe a responsabilidade da assistência à “Santa Montanha”.

Desde janeiro de 2020 o Clero da Administração Apostólica, por iniciativa do então Bispo Diocesano de Leopoldina, assumiu a assistência pastoral da comunidade das religiosas, nascida na própria diocese, até recentemente denominadas “Irmãs Carmelitas de Nossa Senhora da Misericórdia do Menino Jesus”, em atenção à sua sensibilidade litúrgica. Desde então, e já sob o governo do atual Bispo Diocesano, Dom Edson Oriolo, procurou-se superar as dificuldades e regularizar a situação canônica destas religiosas de acordo com a legislação da Igreja.

Necessidade de regularização.

Embora estivessem em comunhão e sob a obediência à autoridade diocesana, as religiosas ainda não possuíam qualquer reconhecimento por parte da Igreja. Por isso, Dom Edson Oriolo, buscou solucionar constituindo-as em uma Associação Pública de Fiéis estável na própria Administração Apostólica. Para tanto, em 22 de novembro de 2022 os dois Bispos, Dom Edson e Dom Fernando Rifan, Bispo Administrador Apostólico, se reuniram em Leopoldina manifestando “plena sintonia acerca da necessidade de regularização”.

Comissão de estudo dá solução.

Para isso, foi formada uma comissão de estudo sob a responsabilidade de Mons. José de Matos Barbosa, Vigário Geral da Administração Apostólica e canonista.

Como solução a comissão concluiu que o mais conveniente seria que as “Irmãs da Santa Montanha” integrassem uma Associação Pública de Fiéis já existente na Administração Apostólica, o que foi aceito por todas as partes interessadas. E, considerando as semelhanças de carisma, foi escolhida a “Associação Pública de Fiéis Senhora do Rosário de Fátima e do Monte Carmelo”, já estavelmente constituída na Administração Apostólica e sediada em Santo Antônio de Pádua-RJ.

“Com admirável espírito de obediência, humildade, comunhão e boa vontade de ambas, chegou-se a uma resolução definitiva, mediante o pedido de ingresso, livremente assinado por cada religiosa individualmente”. Todo o processo canônico por parte da Administração Apostólica encerrou-se em 23 de dezembro de 2023.

Reconhecimento por parte da Diocese de Leopoldina.

O resultado deste percurso de diálogo e comunhão foi o reconhecimento canônico da comunidade religiosa na Diocese de Leopoldina, o que se deu como muita presteza, pois, no dia 23 de abril Dom Edson Oriolo recebeu das mãos de Mons. José de Matos, em nome de Dom Fernando Rifan, uma cópia do processo canônico e o pedido formal de integração, assinado pela Superiora Geral, Madre Maria José do Sagrado Coração de Jesus, para que as Irmãs, agora pertencentes à Administração Apostólica, canonicamente estabelecer uma casa em sua diocese e continua o seu apostolado na “Santa Montanha”; logo no dia seguinte, 24 de abril, foi aprovado pelo Conselho de Presbíteros por unanimidade.

No dia 30 de abril, Dom Edson Oriolo, incumbiu o Vice-Chanceler do Bispado, Pe. Fernando Freitas, entregar o Decreto Episcopal Singular de consentimento com o estabelecimento da Casa das Irmãs, na ocasião também foi entregue uma carta em que, paternalmente, o Bispo diocesano renova seus sentimentos quanto a presença e apostolado das mesmas na sua diocese.

Demos graças a Deus por estas boas notícias e por ver os frutos dos apostolados externos da nossa Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney. Que Deus confirme estas iniciativas dos dois bispos, assim como a humildade das Irmãs, com muitas e santas vocações para a Igreja!

Madre Maria Auxiliadora da Santa Face

Fonte e notícia completa: Diocese de Leopoldina.

Posts relacionados